3.1.19

Terapia 2019

Então você tenta uma vez e se não der a frustração é tão grande que já é o fim? O tudo ou nada? Ao invés de significar... que é pra continuar a tentar?
Não aguenta uma frustração, é tão esmagadora que já significa que é o fim definitivo. "Viu? não adianta mesmo tentar."
De onde esta ideia de que a frustração é tão esmagadora que é equivalente ao fim?

O que é a troca? Eu consigo sequer sentir a troca, o que é isso? O que é o interesse pela troca, por ALGUÉM, por tudo que envolva a troca?

Logo se estabelece o desinteresse. E o apego a tudo que não envolve troca. Com a dissociação/despercepção/dessintonização/perda de vista do interesse, tudo vira uma dicotomia entre passar trabalho/esforço X não fazer esforço algum (não ocorrer troca). A alternativa menos trabalhosa (e a solução) passa a ser nada que demande troca: televisão, livros, comida. Coisas.

Quando ocorre a troca, ela sempre é mais vantajosa do que sua não ocorrência. O desinteresse. A desistência. O apego à coisa.

A troca na psiquiatra. No happy hour. Na festa de reveillon. Na saída com um cara. Pode se igualar a isso também o investimento em um sonho.

Percebi que muitas vezes o que vira a chave é a percepção do afeto. "Você fará diferença". "Venha, te queremos aqui". "Sua presença significa a troca". Just show up. Mas não pode se condicionar a isso. As vezes eu devo fazer o esforço de aparecer sem implorarem por isso. Pelo interesse pelas pessoas. Por preocupação. Por cuidado.
Mas daí vem a facilidade com que a chave vira e se torna tudo desinteresse. Coisificação. Atos materiais.

Troca de afeto. Teve isso? Não muito claramente. Apenas quando havia prova de merecimento. Logo vinha o ato vil do nada (ou ato algum) e a chave virava para o desmerecimento. Desinteresse. Ou raiva. Verificar.

31.12.18

Não é mais 2003. Em breve, nem mais 2018.

Hello, não é mais 2003, quem mais lê blogs pessoais?
No instante em que o Google Reader foi desativado, foi determinado ao destino o ocaso dos blogs pessoais. Expressões arcaicas como "blogagem coletiva" ou o verbo "blogar" já são completamente desconhecidas aos millennials, que atualmente dominam rede mundial de computadores. "Templates", "freebies", "labels", caixas de comentários, nuvens de tags. 

E eu resolvi retornar a este blog pessoal menos pelo rolê de ser do contra do que por uma mera fraqueza de espírito, que me faz romantizar o passado e ter a mania inveterada de "resgatar".

Resgatar aquele momento, o momento imediatamente antes de deixar de ser quem eu sou, e identificar o que aconteceu ali. Foi uma palavra de desdém, um olhar, uma repreensão? Provavelmente apenas um pensamento.  

Ideias incessantes de resgatar a essência. Isso, claro, guardando de lado por ora o questionamento acerca de existir, ou não, uma essência. Eu tendo a achar que existe. Eu tendo a achar que podemos nos reconectar com ela. 

É pra alguém ler isso aqui? Não. Posto apenas pra legitimar, ou mesmo declarar a existência desses escritos. Isso existe, eu escrevi. Saiu de mim, que também existo.

So long, 2018. Que deus(a)(es) abençoem esse país danado.


27.11.13

Georgia on my mind


"Enfim... Eram recordações boas. Tudo aquilo tinha ficado muito longe no passado. Verdade é que a gente nunca esquece a infância. Pieguices? Mas, que é que a vida pode nos oferecer de melhor, de mais puro?"

- Erico Verissimo, em "Clarissa", 1933

25.11.13

Constantine: [to Eugenia] Every day you're not dead in the ground, when you wake up in the morning, you're gonna have to make some decisions. Got to ask yourself this question: "Am I gonna believe all them bad things them fools say about me today?" You hear me today? "Am I gonna believe all them bad things them fools say about me today? You hear me today?" All right? As for your mama, she didn't pick her life. It picked her. But you, you're gonna do something big with yours. You wait and see.

23.11.13

21.11.13

Recordar, Repetir, Elaborar

Só pra lembrar pra mim mesma que eu sou adulta. Que acreditar em internet é uma furada. E que quem enfia a cabeça na merda, se suja.

E que o grande sofrimento da humanidade consiste em não aceitar as coisas como efetivamente são.

Beijos soberanos para mim mesma. Ex-Diva depressão, atual glamour decadente.

18.11.13

não quero ser exaurida

e se eu me doo por inteira,
meu amor se esgota em ti

12.11.13

É tão bom chegar e eu estou chegando

- Queria tanto saber dançar que nem tu!
- Dança que nem TU.

********************************************************************

Tantas coisas espe(essen)ciais acontecendo do lado de cá que eu queria contar =)

24.10.13

Nós


"A vida é desfazer nós
Nós de nos mesmos
A linha da vida fica maior
Se você consegue tirar o nó


A vida é desfazer nós
e os motivos de fazê-los
ninguém pode desfazer por nos
ninguém pode impedir os nós


Nós aqui
Nós nunca estão sós


Na miga engoli um nó
Nó na garganta
Tô indo rir vou pra casa já
Se não amanhã não consigo me levantar


A vida é desfazer nós
Nos que fazemos
pra complicar um caminho só
e a linha da vida ficar cada vez menor


Nos aqui
nós nunca estão sós
Nos aqui
Nós nunca estão sós"


[Lulina]