20.3.11

Once upon a time...

Era uma vez uma menina.
Ela, que cresceu aprendendo a adorar príncipes, heróis, mágicos, ídolos;
Ela, que só conhecia extremos diametralmente opostos: mocinho x vilão, princesa x bruxa, bom x mau;
Ela, que viu filmes da Disney demais na infância;
Ela, que na dificuldade em se enquadrar em um dos extremos - os únicos modelos que conhecia-, fabricava conceitos para se encaixar.
E como maniqueísmo não existe, ela vivia oscilando entre mocinha e vilã, princesa e bruxa, boa e má, 8 e 80;
Ela, que em dado momento da vida, se perdeu nessa conta entre o 8 e o 80;
Ela, que sempre amou ícones, não sabe amar pessoas;
Ela não sabe se amar;
Ela não sabe amar;
Fim.

7 comentários:

Hiro Okido disse...

Fim...
Ela descobrirá que precisa de um equilíbrio.
Ela ressurgirá dessa decepção com mais força.
Ela será vista como uma fênix, que brilhará no céu.
Ela matará os estereótipos e se tornará Mulher...
Fim.

C. disse...

Linda semana e belo Outono ;)
Beijos, Flores e Luz

Alvaro Vianna disse...

Acredito que muitos mais de nós em dado momento se descobre enganado por estes padrões impossíveis.

bjs

Bruno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ju Dacoregio Paperback Writer Girl disse...

Ela que aprendeu que a princesa também é má e a bruxa às vezes estende a mão.
Ela que se perdoou por ser 8 ou 80.
Ela que descobriu que sabe amar. Do jeito dela, mas sabe.
Nós sabemos.