2.4.11

Feio demais

Eu me sinto imersa na mais profunda loucura... só que é uma loucura ao avesso, é uma loucura onde a minha razão e a minha lucidez são exacerbadas. Mas até que ponto são confiáveis? Tenho impressão de que é uma lucidez calcada em convicções traiçoeiras, em arapucas tramadas pelo meu próprio subconsciente perverso. Sim, porque eu tenho, em alguma lugar bem velado, uma parte perversa e sadomasoquista que gosta de fazer as vezes de algoz e vítima, gosta de agredir e ser agredido, tem prazer em apontar e julgar e tem prazer igualmente em se submeter.
Eu só sei que tá foda. Pq quando se mover do seu quarto até a cozinha demanda um esforço tóxico; quando atender o telefone e tomar banho são grandes feitos merecedores de louros; quando a inconsciência do sono lhe parece a melhor aliada... não sei não. Tá foda. Tudo é árido, e não há perspectiva. Tudo é real demais, feio demais.

2 comentários:

Ana C. disse...

tenebrosas realidades

Alvaro Vianna disse...

Bem vinda a Zion!