21.5.11

Farisaísmo, estupidez e arbitrariedade

"[...] Detesto a falsidade e a coerção em todas as suas formas. Farisaísmo, estupidez e arbitrariedade reinam não apenas nas casas de comércio e delegacias de polícia. Eu os vejo na ciência, na literatura, entre os jovens. Por isso não tenho apreço especial nem por policiais, nem açougueiros, cientistas, escritores ou jovens. Considero marcas e rótulos um mal. O que me é sagrado são o corpo humano, saúde, inteligência, talento, inspiração, amor e liberdade absoluta - libertação da Força e da Falsidade, em quaisquer formas com que se expressem. Essa é a plataforma que eu apoiaria, se eu fosse um grande artista.
{Tchekov}

2 comentários:

Helen Araujo disse...

Concordo com seu texto. Toca aki brother o/\o

=]

Ana C. disse...

deixando um beijo e flores
lindo feriado